Página Inicial Página Inicial Alimentação Contato Links Dicas Região Fotos Trilhas Tropeiros História

 

 

 

FAZENDA DAS GERAIS

 

 

        A Fazenda das Gerais é a mais antiga da região. Com mais de 150 anos de existência já se dedicou a atividade de agropecuária e lavoura.

 

 

Hoje, a propriedade explora a atividade de turismo rural e recebe visitantes que apreciam o contato com a natureza e buscam desfrutar de um verdadeiro ambiente de fazenda.

 

  

 

Além da hospedagem e alimentação, o local oferece diversas atividades de lazer e entretenimento. Na Fazenda das Gerais, o turista poderá:

 

● realizar trilhas e cavalgadas em meio às belíssimas paisagens oferecidas pela Serra da Mantiqueira;

●  passear de canoa pelo Rio Sapucaí;

●  pescar nos lagos da propriedade;

●  observar a fauna e a flora locais, e;

● participar das atividades relacionadas ao meio rural, como por exemplo, o trato de animais da fazenda (cavalos, cabritos, galinhas, porcos, vacas, etc.), interagindo totalmente com o ambiente.

 

  

  

  

 

 

 

CAVALGADAS

 

         A Fazenda das Gerais conta ainda com um novo conceito de turismo rural que resgata a cultura de nossa história através dos Tropeiros das Gerais, cavalgadas que propiciam vivenciar os hábitos dos antigos tropeiros e conhecer elementos da cultura regional do Sul de Minas Gerais.

 

 

Ao longo de uma mata exuberante, em terras vizinhas a Monte Verde (MG) e Campos do Jordão (SP), num característico clima de montanha, os participantes são acompanhados por peões locais, especialistas em cavalos e conhecedores da região como ninguém.

 

 

 

 

 

 

 

Assim como os tropeiros de nossa história, eles terão a oportunidade de degustar refeições típicas durante as paradas, compartilhar a prosa e a música de raízes e aprender na prática com os guias, técnicas de cavalgada.

 

A história dos condutores de tropas, que tiveram importante papel econômico no Brasil dos séculos passados, é revivida em pequenos, mas memoráveis detalhes:- as roupas e comida são levadas na cangalha sobre o lombo do burro; chapéu de feltro e capas no estilo original do tropeiro são usadas pelos guias (peões); as marmitas são recheadas com receitas típicas da comida tropeira e embrulhadas em “trouxas” de pano rústico; “causos” locais são contados durante a cavalgada; uma guampa leva a pinga para os apreciadores da bebida.

 

 

 

 

Em destaque, o café tropeiro, que é preparado sob um tripé de ferro sobre uma fogueira. Sem coador, a água é misturada ao pó. A separação fica por conta de uma pedra roliça em brasa, que, quando atirada na chaleira, borbulha de tal forma que a deixa pronta para o consumo. Um espetáculo gostoso para ver e beber.

 

As cavalgadas dos Tropeiros das Gerais pretendem ser uma ponte entre o presente e o passado de “raízes”, entre o natural e o cultural, entre a História e as estórias, entre a imaginação e a realização do ser humano.